08 Outubro 2012

Bróculos - O que são?


O nome “bróculo” deriva da palavra latina “Brachium”, o que significa braço ou sucursal, um reflexo da sua forma ramificada caracterizada por uma cabeça compacta de ramos unificados por pequenas hastes e um caule mais espesso.

Devido às suas diferentes componentes, este legume fornece uma grande complexidade de sabores e texturas, variando de macio (os ramos) para fibroso ou crocante (as hastes e caule). A sua cor pode variar de sálvia a verde escuro ou verde púrpura, dependendo da variedade. Um dos mais populares tipos de bróculos é conhecido como “calabrese”, baptizado com o nome da província italiana da Calábria onde primeiro se originou este tipo de bróculos.
Existem outros produtos hortícolas, que embora mais raros, estão também relacionados com os bróculos, como os “broccolini”, uma mistura entre bróculos e couve, e a “flor de bróculos”, um cruzamento entre couve flor e bróculos. Os rebentos de bróculos também se tornaram muito populares recentemente, na sequência de uma investigação onde se descobriu a sua alta concentração de sulforafanos, um fitonutriente benéfico na luta contra o cancro.
Originários da Europa, os bróculos também têm seu uso na medicina, graças ao seu elevado teor de cálcio que é - dependendo da variedade e da forma de preparo dos bróculos - em média 47 mg por cada 100 gramas de flores e 51 miligramas em cada 100 gramas de folhas, o que representa cerca de cinco vezes a dose existente no leite. Por isso, esse vegetal é um bom construtor e formador dos ossos e dos dentes. 
Há algumas evidências preliminares que o consumo regular de brotos brócolos poderiam erradicar Helicobacter pylori.
Os bróculos são utilizados no preparo de saladas, podendo também ser utilizados em pratos como folhados e massas. Assim como a couve-flor, os bróculos também podem ser cozidos no vapor, o que ajuda a manter seus componentes nutricionais.
Bróculos e o Cancro da Mama

Uma pesquisa da Universidade de Michigan, publicada dia 1º de Maio, pode estar dando um passo para combater a origem do cancro. Hoje em dia há mais de um tratamento possível para a doença, e existe uma série de hábitos de vida que podem ajudar (embora não haja garantia) a evitá-lo. Mas essas medidas combatem o cancro em si, e não a sua causa primária: as células tronco.
A descoberta está em um composto químico existente nos bróculos, chamado de Sulforafano. A partir de experiências com células-tronco em laboratório, os cientistas descobriram que o composto mata células cancerosas e inibe imediatamente o crescimento de um tumor.
Fonte: American Chemical Society 
Pesquisas sobre o papel do extracto dos bróculos no combate ao cancro de mama já existem há oito anos, mas conheciam-se apenas a acção directa sobre a doença. Estes novos estudos sugerem que o sulforafano seria vital na prevenção do câncer, pois pode agir directamente sobre as células-tronco. São elas, segundo os cientistas, a raiz do problema, e as quimioterapias actuais não as combatem. Daí a demora e dificuldade desse tratamento.
A pesquisa foi conduzida em ratos com câncer de mama. O sulforafano injectado teve o efeito que esperavam: houve diminuição na população de células-tronco cancerosas, e as que restaram não foram capazes de gerar novos tumores.
Para que os resultados da pesquisa não ficassem restritos aos ratos, o estudo também avaliou células humanas com câncer de mama, cultivadas em laboratório, e os resultados foram semelhantes.
O método de aplicação de Sulforafano, apesar disso, ainda não foi testado em nenhum paciente. E comer bróculos, simplesmente, não supre o corpo com quantidade suficiente do composto para prevenir células cancerosas, seria preciso tomar um extracto. De qualquer modo, é um avanço para que a medicina possa conter o câncer, que ainda é responsável por 13% das mortes no mundo. [Science Daily]

Fontes: alimentacaosaudavel.org; en.wikipedia.org; pt.wikipedia.org; hypescience.com; pt.dreamstime.com


Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails